22 de dezembro de 2020

Amigos do Coraçãozinho: um ano de doação e voluntariado em prol da causa cardiopata infantil

A confraternização do grupo de voluntários da Casa do Coraçãozinho ocorreu de forma virtual

Por Kamilla Abely

Amor, doação e solidariedade. Essas são as palavras que definem o trabalho que o grupo de voluntários Amigos do Coraçãozinho desempenham em prol das crianças cardiopatas alagoanas atendidas pela Casa do Coraçãozinho. Neste ano, em virtude da pandemia da Covid-19, o último encontro da equipe foi feito de forma online, na última quinta-feira (19), em clima de comemoração natalina. 

O evento virtual contou com mensagens de afeto e acolhimento entre os voluntários. Além disso, foi realizado um momento de homenagens que contou com a participação da Gerente Administrativo Financeiro da Cordial, Maria Lúcia Barroso, que enfatizou a importância de todos os participantes do grupo que vêm somando esforços ao trabalho feito pela Casa do Coraçãozinho. 

Viabilizado pela coordenadora do setor de Serviço Social da Casa do Coraçãozinho, a assistente social Cristina Bento, o grupo completou um ano de existência no auxílio às famílias carentes das crianças cardiopatas. A cada data comemorativa (dia das crianças, páscoa, natal, etc), os voluntários se mobilizam para arrecadar mantimentos e confeccionar lembrancinhas para as famílias atendidas pelo ambulatório.

“A ideia do grupo Amigos do Coraçãozinho surgiu durante uma fase de crise financeira que estávamos vivenciando, até com rumores de fechamento do único Centro de Referência em Cardiopediatria em Alagoas. E sem cada um dos nossos voluntários, nenhuma das realizações que foram feitas na Casa do Coraçãozinho – que se tornaram imprescindíveis para a instituição – seriam possíveis”, enfatizou Cristina Bento. 

Na confraternização online, também houve sorteio de brindes para os participantes e atrações musicais feitas pelos próprios voluntários, como o “Momento de Fé” proporcionado pelo cantor gospel alagoano Val da Benção – integrante do grupo de Mães da Casa do Coraçãozinho por ser pai de uma criança cardiopata. 

“Eu fiquei encantada quando conheci o trabalho social feito pela Cristina e toda equipe da Casa do Coraçãozinho, equipe coesa e unida apesar de todas dificuldades, sempre pensando no bem-estar desses pequenos pacientes. A partir daí, decidi que era hora de ajudar e que eu não podia ficar de braços cruzados. Exercer o voluntariado através da Casa do Coraçãozinho só me faz bem, posso até dizer que me transformou e hoje vejo o mundo de outra forma: penso que a gente não pode ser indiferente a essas causas sociais”, afirmou Sandra Freitas, voluntária que sempre contribui com as comemorações do Grupo de Mães da instituição, a partir de seu trabalho com buffet de festas. 

Mesmo em um ano atípico pelo distanciamento imposto pela pandemia, o grupo continuou seu trabalho de voluntariado em prol das crianças e famílias atendidas pela Casa, articulando-se por meio de reuniões virtuais e comunicação remota. 

22 de dezembro de 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *